Londrina ganha reforço na PM com 427 soldados e 20 viaturas

Em todo o estado, são 2.169 policiais e 567 bombeiros militares. Todos concluíram o Curso de Formação e os policiais já estão aptos à atuação ostensiva e preventiva

Foto: JϜlio Cesar Souza / ANPr

LONDRINA, PR
Diário do Estado | AEN

O governador Beto Richa anunciou nesta terça-feira (10) a incorporação de mais 2.736 soldados da Polícia Militar do Paraná, que irão atuar no Norte, Noroeste, Oeste, nos Campos Gerais, em Curitiba e Região Metropolitana e no Litoral. São 2.169 policiais e 567 bombeiros militares. Todos concluíram o Curso de Formação de Soldados e os policiais já estão aptos à atuação ostensiva e preventiva.

“Temos a felicidade de anunciar esses novos profissionais, que irão reforçar e fortalecer a segurança pública no Estado”, afirmou Richa em Londrina, na primeira da série de solenidades de formatura dos novos soldados, que acontecem nesta semana. As outras solenidades de formatura de policiais ocorrerão em Maringá, Cascavel, Ponta Grossa e Curitiba.

O nome da turma de Londrina é “Protetores do Norte do Paraná”. São 427 soldados (394 policiais e 33 bombeiros) que se incorporam ao 2.º Comando Regional da PM, responsável por 89 municípios da região. Na solenidade, com a presença da vice-governadora Cida Borghetti, Beto Richa entregou troféu aos militares que se destacaram no curso de formação. Ele recebeu uma placa das mãos do comandante do 2.º Comando Regional, tenente-coronel Marcos Antônio Wosny Borba. Muitos familiares saudaram os formandos com faixas alusivas à conquista.

Richa também anunciou o envio para Londrina, nos próximos dias, de 20 viaturas policiais locadas. “Os veículos irão reforçar o atendimento em Londrina, enquanto aguardamos a entrega das 1.100 viaturas novas, que já estão em licitação e que serão distribuídas a todas as regiões, a partir de critérios técnicos”, afirmou.

“O significado destes anúncios é a esperança da população em uma maior sensação de segurança”, afirmou o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati. “É fato que hoje Londrina, assim como todo o país, passa por um problema serio na área de segurança. Essa medida vai amenizar e melhorar a sensação de segurança da população”, disse ele.

MAIS AÇÕES

Os investimentos em segurança, afirmou Richa, incluem mais ações, dentro do Paraná Seguro, o único programa de investimentos em segurança pública já executado pelo Estado. Mais de 10,8 mil profissionais da segurança pública foram contratados desde o início do governo, em 2011. “A maior contratação de profissionais para a segurança foi feita neste governo”, disse ele.

Também já foram adquiridas e estão em operação 1.200 novas viaturas e, nos próximos meses, serão entregues mais 1.100 veículos. Além disso, o Governo do Estado alugou 250 viaturas para o patrulhamento em Curitiba e Região Metropolitana, além de reforçar a Operação Verão. “Também entregamos novas armas e munições às forças policiais, entre elas cerca de 900 pistolas da marca Glock e, em breve, faremos a entrega de armas de longo alcance, além dos coletes balísticos, que são entregues assim que recebemos dos fornecedores. O Estado comprou 8 mil coletes balísticos.

As ações incluem, ainda, compra de equipamentos, investimentos em inteligência e a realização sistemática de operações para prisão de traficantes e combate às drogas.

Governador Beto Richa acompanhado pelo secret‡rio de segurana pœblica, Wagner Mesquita e demais autoridades, participa da formatura da turma do curso de forma‹o de soldados PM/BM 2016/2017.
Londrina, 10/01/2017
Foto: Jœlio Cesar Souza / ANPr

CAPILARIDADE

Para o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, o reforço de pessoal e de estrutura é significativo. “Mais efetivo sendo aplicado nas ruas, mais viaturas e armas trazem capilaridade maior, uma presença maior da polícia que vai reverter na diminuição dos índices de criminalidade”, disse ele. “A presença, principalmente do policiamento preventivo e ostensivo, traz reflexos imediatos na redução dos índices”, afirmou.

“Este reforço representa mais segurança e confiança que a sociedade pode depositar na Polícia Militar do Paraná, que com melhores condições, tanto qualitativa como quantitativa, assume o compromisso e a responsabilidade de ampliar os níveis de segurança e garantir a ordem pública”, declarou o comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato.

No Norte, segundo o comandante do 2º Comando Regional, todos os 89 municípios receberão algum nível de reforço, seja diretamente, com a locação dos novos policiais, ou através de remanejamento. “Em Londrina, por exemplo, o reforço está na ordem de 140 policiais militares”, disse ele.

PRESENÇAS

Participaram da formatura o chefe da Casa Militar, coronel Adílson Castilho Casitas; o subcomandante da PM-PR, coronel Arildo Luís Dias; a chefe do Estado Maior da PMPR, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha; o paraninfo da turma de formandos, Oezir Marcelo Kantor; o deputado federal Luiz Carlos Hauly; os deputados estaduais Luiz Cláudio Romanelli, Tiago Amaral, Cobra Repórter, Mauro Moraes e Alexandre Curi; o presidente da Associação dos Municípios do Norte do Paraná (Amunop) e prefeito de Cornélio Procópio, Amin Hannouche e prefeitos da região.

Novos soldados cumpriram 1.500 horas-aula

Os soldados que se graduam no curso de formação passam por 1.500 horas-aula, ao longo de dez meses. O curso inclui estágios operacionais, em que os formandos atuam sob supervisão de superiores. Durante os primeiros meses de curso, os alunos policiais tiveram aulas teóricas e práticas de disciplinas como direito, defesa pessoal, tiro, técnica e tática policial, policiamento ostensivo e, principalmente, comunitário, além de direitos humanos, abordagem e outras da área policial.

Os bombeiros também passam por algumas destas disciplinas, mas têm outras específicas, como combate a incêndio urbano e florestal, salvamento aquático, terrestre e vertical, socorros de urgência, busca terrestre e aquática e defesa civil.

“Temos a convicção de que há um esforço importante para nosso trabalho”, disse o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Juceli Simiano Junior. “No primeiro momento eles trabalharão com profissionais mais antigos, unindo a experiência com a juventude e com a informação de ponta que esses novos bombeiros trazem em sua formação”, afirmou.

Junto com a parte teórica, os alunos fazem o estágio operacional supervisionado, acompanhados por policiais e bombeiros militares já formados e com experiência na atividade de rua e atendimento de ocorrências, são controladas e específicas.