Vereador Emerson Petriv (Boca Aberta) – Foto: Arquivo

Investigado pela Comissão de Ética sob a acusação de abuso de autoridade, o vereador Émerson Petriv (PR), o Boca Aberta, protocolou um projeto de lei propondo critérios para que vereadores ocupem cargos na Comissão.

No texto, Boca Aberta pede que os eleitos para a Comissão de Ética apresentem certidão negativa das justiça Federal, Estadual, crime eleitoral e Vara de Execuções Penais, entre outras. O texto diz ainda que membros da Comissão de Ética não podem ser réus em processos por improbidade administrativa, estelionato, entre outros crimes.

Embora trate da comissão de uma forma geral, o projeto tem endereço certo: o presidente da Comissão de Ética, Gérson Araújo (PSDB), réu num processo por improbidade administrativa e que também foi denunciado por falsidade ideológica e estelionato, na esfera penal, num caso envolvendo a construtora Iguaçu do Brasil. Araújo nega as acusações.

O vereador Gerson Araújo, presidente da Comissão de Ética da Câmara – Foto: Arquivo

“O que significa a palavra ética? Lisura, transparência, honestidade, dignidade, de conduta ilibada, inquestionável”, declarou o vereador. Segundo ele, o vereador que for julgar os pares precisa ter “conduta ilibada”.

(Fábio Silveira / Blog Baixo Clero)