Connect with us

Política

‘Condenado ou não, Lula será candidato em 2018’, diz Gleisi

‘Tivemos vários precedentes de candidatos que foram condenados’

Publicado

em

Foto: Arquivo

Estadão Conteúdo

Se alguns duvidam, a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, não. Para ela, não há nenhuma chance do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não ser candidato à Presidência da República em 2018. “O presidente Lula vai ser candidato em 2018 à presidência da República. Mesmo que o Tribunal da 4ª Região mantenha esta sentença absurda do Juízo de Curitiba, que o condenou, ele será candidato. Temos vários precedentes de candidatos condenados em segunda instância que tiveram permissão para concorrer às eleições”, afirmou Gleisi, em entrevista à Banda B nesta quarta-feira (11).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz federal Sergio Moro pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a denúncia, a OAS pagou R$ 3,7 milhões em propina a Lula por meio da entrega e reforma de um imóvel no Guarujá (SP), além do armazenamento do acervo presidencial. O ex-presidente nega ser dono do imóvel e recorreu ao Tribunal Regional Federal – 4ª Região.

Segundo a lei da Ficha Limpa, um político só é impedido de disputar um cargo eletivo se ele tiver uma condenação por um órgão colegiado. No caso, Lula em teoria só ficaria inelegível se juntos os desembargadores do TRF4 votarem e prevalecer o entendimento que ele de fato praticou os crimes. Porém, tem ainda a possibilidade de recursos no STF [Supremo Tribunal Federal] e STJ [Superior Tribunal de Justiça], que podem dar liminar suspendendo o efeito de uma possível decisão do tribunal desfavorável ao ex-presidente.

Segundo Gleisi, por isso tudo e pela liderança de Lula nas pesquisas eleitorais, não há plano B dentro do PT. “Não existe plano B. O presidente Lula é o candidato do PT. Se querem impedi-lo que façam isso nas urnas. O que não pode é tirar da disputa um candidato com 40% das intenções de voto no tapetão. Isso, inclusive, seria muito ruim para a imagem do Brasil no mundo”, completou.

Planos no Paraná

A senadora disse ainda que o PT tem duas prioridades nacionais e todos os próximos do partido nos estados serão tomados em razão destes pontos. “Estamos discutindo o plano nacional do partido, mas temos duas prioridades, que são eleger o presidente Lula e montar uma bancada forte na Câmara Federal. No Paraná, não fizemos ainda uma discussão específica sobre a estratégia para 2018. Ainda vamos definir, em função dessas prioridades, se o melhor será termos candidato próprio ao Governo ou não”, informou a petista.

Sobre os planos pessoais na política, Gleisi, que tem seu mandato de senadora encerrado em 2018, diz que já definiu que não irá disputar nenhum cargo majoritário. “Não disputarei nenhuma candidatura majoritária. Não estarei na disputa pelo Senado ou Governo. Dentro da prioridade de formar uma bancada federal forte, o mais provável é que eu dispute uma vaga na Câmara Federal”.

A senadora reafirmou ainda que o PT é a favor do andamento da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção e obstrução de justiça no STF e encerrou com a informação convicta de que o ex-presidente Lula é inocente de todas as acusações feitas contra ele. Segundo ela, tudo é uma grande armação. “Tenho convicção que é uma grande armação. Existe uma perseguição desmedida contra o presidente Lula condenado em 1[ instância por um apartamento que nunca foi dele (…) onde estão as malhas de dinheiro, onde está o terreno ou o apartamento em nome dele, onde há uma conta no exterior no nome do presidente Lula? São acusações sem provas”, finalizou.

Publicidade

EM 24H: